Nosso Pastor

China instala câmeras de vigilância para monitorar cultos
O relatório diz que quando as autoridades julgam que a pregação `viola as regras´ prendem o pastor

As igrejas protestantes da China estão sendo obrigadas a aceitar a instalação de câmeras de vigilância em suas dependências, como parte do monitoramento do que acontece nos cultos, como também dos seus frequentadores.

Assim, autoridades chinesas estão se tornando mais veementes em seus esforços de registrar e controlar as informações de identificação de todos os cristãos. Segundo relatório do Bitter Winter, a polícia chinesa registra os crentes que entram e depois aparecem em suas casas para “inspeções”.

A Igreja Protestante Three-Self, controlada pelo Estado, sempre esteve sob o rigoroso controle e supervisão das autoridades, que fez a instalação de câmeras de vigilância em várias de suas igrejas como forma de monitoramento de seus sermões.

Se o Departamento de Trabalho da Frente Unida (UFWD, sigla em inglês) acredita que o conteúdo de um sermão viola suas regras, o pregador em questão é levado imediatamente para uma “conversa” e pode ser preso.

Apesar da ostensiva vigilância, isso não parece ter tranquilizado as autoridades, afirma o relatório. “O controle dos membros da igreja está se tornando cada vez mais rigoroso”, afirma.

Medo

Uma das experiências da igreja Three-Self na cidade de Tieling, na província de Liaoning, mostra como a supervisão está afetando os crentes. “Os adoradores temerosos estão se afastando da igreja”, diz o relatório, que afirma que a perseguição está começando a desencorajar as pessoas a praticarem sua fé.

Em 8 setembro de 2018, quando os membros da igreja foram à capela para um culto, eles descobriram que dois policiais à paisana estavam vigiando a entrada da igreja. Os oficiais exigiram que os membros da igreja anotassem suas informações pessoais em detalhes antes de entrarem na igreja.

Para o culto prosseguir, cada membro da igreja que foi na congregação teve que fornecer suas informações pessoais aos oficiais, como nome completo, sexo, idade, endereço residencial e contatos.

“Naquele dia, uma idosa cristã de quase 90 anos foi à igreja com sua filha. Como todo mundo, ela e sua filha foram informados de que deveriam se registrar. A filha protestou, explicando que ela não acreditava em Deus, mas estava lá apenas para acompanhar a mãe idosa”, relatou a Bitter Winter.

Os policiais disseram que acreditando ou não em Deus, se a mulher fosse entrar na igreja deveria se registar.

Controle

A polícia disse ao líder da congregação, Yang Li (nome fictício): “Sua igreja é certificada. Ela precisa ser mais obediente ao Partido Comunista Chinês (PCC) e se submeter ao seu controle”.

Uma semana depois de terem registrado os crentes daquela igreja, a polícia trouxe a lista de membros registrados para Yang Li e disse: “Leve-nos a cada uma dessas casas para as inspeções. Seja qual for a casa que queremos ir, você vai nos levar até lá”.

Depois desse esforço inicial de registro em setembro, em cada dia em que a congregação estava programada para se reunir, três policiais ficavam fora da capela para registrar as informações dos membros da igreja. Sob o assédio e perseguição da polícia do PCC, a igreja, que inicialmente tinha mais de cem congregantes, gradualmente viu seus números declinarem. Agora, apenas cerca de 30 crentes permanecem.

Tal como acontece com as igrejas Three-Self, os membros das igrejas domésticas também têm suas informações de identificação registradas.

Em 30 de setembro, cerca de uma dúzia de pessoas do Departamento de Assuntos Religiosos (Segurança Pública e outros departamentos do condado de Yunxiao, na província sudeste de Fujian) invadiram uma igreja local e exigiram que o pastor da congregação se registrasse, assim como os cristãos presentes foram obrigados declarar suas informações pessoais.

Alegando que o pregador não tinha o certificado de pregação emitido pelo Departamento de Assuntos Religiosos, as autoridades o proibiram de pregar e o tiraram do púlpito da igreja.

Os fiéis estão preocupados com o monitoramento e com os registros de suas informações e identificação. “Eles se preparam para mais perseguições. Essas ações das autoridades criaram uma enorme quantidade de estresse mental para os membros da igreja, fazendo com que os números de suas congregações diminuíssem”, afirma o relatório.



Fonte: CPAD News

Venha nos visitar, será muito bem vindo! Nossa Localização