Nosso Credo

Congregações

Auto Passa Sete

       

Costa do Rio

       

HISTÓRICO DA ASSEMBLEIA DE DEUS EM CANDELÁRIA/RS
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

Em agosto de 1957 a saudosa irmã Lucia Carvalho da Silva, esposa do Pastor Osmar Juvenal da Silva, teve uma visão sobre a cidade de Candelária; viu uma casa lotada e uma multidão de pessoas do lado de fora com os braços erguidos para os céus.

No dia seguinte, contou a visão ao pastor e, movido pelo Espírito Santo e certo da chamada de Deus para evangelizar Candelária, reuniu no domingo seguinte, dia 11, um grupo de obreiros e se dirigiriam para a nossa cidade. Aqui chegando, tomaram café da manhã no restaurante do Hotel dos Viajantes. Logo após, procuraram uma vila para evangelizar, chegando até, onde hoje se localiza o bairro Ewaldo Prass, que na época era habitada por muitos índios e alguns poucos moradores fixos.
                                                                                                           
                                                                                               Pr. Osmar Juvenal da Silva

No dia seguinte, contou a visão ao pastor e, movido pelo Espírito Santo e certo da chamada de Deus para evangelizar Candelária, reuniu no domingo seguinte, dia 11, um grupo de obreiros e se dirigiriam para a nossa cidade. Aqui chegando, tomaram café da manhã no restaurante do Hotel dos Viajantes. Logo após, procuraram uma vila para evangelizar, chegando até, onde hoje se localiza o bairro Ewaldo Prass, que na época era habitada por muitos índios e alguns poucos moradores fixos, segundo o relato do próprio Pr. Osmar.
A primeira pessoa que aceitou Jesus como seu Salvador foi o irmão Felarmino do Carmo, que cedeu sua casa para realizar os primeiros cultos. Movido pelo Espírito Santo, construiu um salão e cedeu para realização dos cultos, sendo este o primeiro ponto de pregação em Candelária. Com um local fixo para cultos, muitas almas aceitaram a Cristo. Por meados do ano de 1966, José Armínio da Rosa, sentiu de abrir mais um local para cultos, então foi alugado uma casa próxima ao rio Pardo, no bairro Esmeralda. Este irmão foi o primeiro obreiro em tempo integral na obra no município. Depois de pouco mais de um ano, ele retornou para a cidade de Santa Cruz do Sul, que na época também pertencia ao campo eclesiástico de Cachoeira do Sul.
                               A imagem pode conter: 4 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
                                                                   Lançamento da Pedra fundamental do primeiro templo

Na década de 70 o presbítero José Ramiro Machado fundou e atendeu os trabalhos na localidade de Costa do Rio, onde foram evangelizados vários irmãos que ajudarama fortalecer a obra do Senhor em Candelária. O segundo obreiro trabalhando em tempo integral para a obra na cidade foi o irmão Bento Figueiredo Vargas, que aqui chegou no ano de 1980, ficando até o ano de 1985. Durante o período que o irmão Bento atendia os trabalhos locais, a igreja sede em Cachoeira do Sul recebia um novo pastor presidente. No ano de 1984 assume o pastor Juvenal Caetano de Lima, substituindo o pastor Osmar Juvenal da Silva. Em 1985 o irmão Bento retorna para a igreja mãe, em Cachoeira do Sul, vindo outros obreiros para atender os trabalhos no período. Em 1990 assume como pastor presidente em Cachoeira do Sul Juvino Neves dos Santos. Em 30 de maio de 1991 a convenção estadual (CIEPADERGS) faz a emancipação do campo eclesiástico de Candelária, que inclui a cidade de Cerro Branco. Assume como primeiro pastor presidente Claudio da Silva e Silva, trabalhando até 5 de maio de 1993.
 
                                        
                                                                                          Pr. Cláudio Silva e Silva                                                           

Pr. Cláudio foi substituído pelo pastor Valmir Gonçalves.

                                               A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé
                                                                                                Pr. Valmir Gonçalves

Pastor Valmir pastoreou a igreja em Candelária até o dia 10 de dezembro do ano de 2000, assumindo então o pastor Antonio Carvalho Erohin, o qual veio transferido da cidade de Sobradinho.
                                    A imagem pode conter: 2 pessoas, terno
                                                                 Pr. Antonio Erohin e Irmã Ana (Atuais líderes da AD Candelária)                                

No período em que o pastor Antonio está à frente desta igreja, foi inaugurado o templo matriz, o templo no bairro Ewaldo Prass, construído o salão social, a casa pastoral, o CEAD (Centro de Eventos da Assembleia de Deus), um templo no Rincão Taquarussu, um templo no Alto Passa Sete, um templo na Serra Velha e um templo no Bairro Marilene, além das reformas dos templos na cidade de Cerro Branco e na Costa do Rio.
                                          A imagem pode conter: noite e atividades ao ar livreA imagem pode conter: pessoas sentadas, mesa e área interna
                                                                             Fotos do atual templo matriz da AD Candelária

DIRETORIA 2018

Presidente:

Pr. Antonio Carvalho Erohin

1° Vice-presidente:

Ev. Alcides Lopes

2° Vice-presidente:

Ev. Eliezer Araujo Erohin

1ª Secretária:

Jussara Moura

2° Secretário:

Ev. Luis Carlos Pereira

1° Tesoureiro:

Pb. Glicério Porto e Silva

2° Tesoureiro:

Pb. Altair Borges da Rosa

Este é o Credo das Igrejas Assembleias de Deus no Brasil

                                                                                           

Cremos...

1) Na inspiração divina verbal e plenária da Bíblia Sagrada, única regra infalívelde fé e prática para a vida e o caráter cristão (2Tm 3.14-17);

2) Em um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas que, embora distintas, são iguais em poder, glória e majestade: o Pai, o Filho e o Espírito Santo; Criador do Universo, de todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, e, de maneira especial, os seres humanos, por um ato sobrenatural e imediato, e não por um processo evolutivo (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.29; Gn 1.1;2.7; Hb 11.3 e Ap 4.11);

3) No Senhor Jesus Cristo, o Filho Unigênito de Deus, plenamente Deus, plenamente Homem, na concepção e no seu nascimento virginal, em sua morte vicária e expiatória, em sua ressurreição corporal dentre os mortos e em sua ascensão vitoriosa aos céus como Salvador do mundo (Jo 3.16-18; Rm 1.3,4; Is 7.14; Mt 1.23; Hb 10.12; Rm 8.34 e At 1.9);

4) No Espírito Santo, a terceira pessoa da Santíssima Trindade, consubstancial como o Pai e o Filho, Senhor e Vivificador; que convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo; que regenera o pecador; que falou por meio dos profetas e continua guiando o seu povo (2Co 13.13; 2Co 3.6,17; Rm 8.2; Jo 16.11; Tt 3.5; 2Pe 1.21 e Jo 16.13);

5) Na pecaminosidade do homem, que o destituiu da glória de Deus e que somente o arrependimento e a fé na obra expiatória e redentora de Jesus Cristo podem restaurá-lo a Deus (Rm 3.23; At 3.19);

6) Na necessidade absoluta do novo nascimento pela graça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo e pelo poder atuante do Espírito Santo e da Palavra de Deus para tornar o homem aceito no Reino dos Céus (Jo 3.3-8, Ef 2.8,9);

7) No perdão dos pecados, na salvação plena e na justificação pela fé no sacrifício efetuado por Jesus Cristo em nosso favor (At 10.43; Rm 10.13; 3.24-26; Hb 7.25; 5.9);

8) Na Igreja, que é o corpo de Cristo, coluna e firmeza da verdade, una, santa e universal assembleia dos fieis remidos de todas as eras e todos os lugares, chamados do mundo pelo Espírito Santo para seguir a Cristo e adorar a Deus (1Co 12.27; Jo 4.23; 1Tm 3.15; Hb 12.23; Ap 22.17);

9) No batismo bíblico efetuado por imersão em águas, uma só vez, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, conforme determinou o Senhor Jesus Cristo (Mt 28.19; Rm 6.1-6; Cl 2.12);

10) Na necessidade e na possibilidade de termos vida santa e irrepreensível por obra do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas de Jesus Cristo (Hb 9.14; 1Pe 1.15);

11) No batismo no Espírito Santo, conforme as Escrituras, que nos é dado por Jesus Cristo, demonstrado pela evidência física do falar em outras línguas, conforme a sua vontade (At 1.5; 2.4; 10.44-46; 19.1-7);

12) Na atualidade dos dons espirituais distribuídos pelo Espírito Santo à Igreja para sua edificação, conforme Sua soberana vontade para o que for útil (1Co 12.1-12);

13) Na segunda vinda de Cristo, em duas fases distintas: a primeira — invisível ao mundo, para arrebatar a Sua Igreja, antes da Grande Tribulação; a segunda — visível e corporal, com a Sua Igreja glorificada, para reinar sobre o mundo durante mil anos (1Ts 4.16, 17; 1Co 15.51-54; Ap 20.4; Zc 14.5; Jd 14);

14) No comparecimento ante o Tribunal de Cristo de todos os cristãos arrebatados, para receberem a recompensa pelos seus feitos em favor da causa de Cristo na Terra (2Co 5.10);

15) No Juízo Final, onde comparecerão todos os ímpios: desde a Criação até o fim do Milênio; os que morreram durante o período milenial e os que, ao final desta época, estiverem vivos. E na eternidade de tristeza e tormento para os infiéis e vida eterna de gozo e felicidade para os fiéis de todos os tempos (Mt 25.46; Is 65.20; Ap 20.11-15; 21.1-4);

16) Cremos, também, que o casamento foi instituído por Deus e ratificado por nosso Senhor Jesus Cristo como união entre um homem e uma mulher, nascidos macho e fêmea, respectivamente, em conformidade com o definido pelo sexo da criação geneticamente determinado (Gn 2.18; Jo 2.1,2; Gn 2.24; 1.27).
"E dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência."
Jeremias 3:15



BREVE HISTÓRICO DO PR.ANTONIO CARVALHO EROHIN

Nascido em Bagé, no dia 28 de outubro de 1950, filho de imigrantes russos, Antonio Carvalho Erohin teve uma infância humilde no interior de Santana da Boa Vista. Lá ele concluiu seus estudos com muita dificuldade.

Em 17 de julho de 1971 casou-se com Ana Araújo. União que lhe daria um casal de filhos: Claunice e Eliezer. Sempre trabalhou muito para ajudar sua família e conseguiu adquirir terras e gados devido ao seu esforço e a benção de Deus em sua vida. Sabendo que tinha um chamado de Deus em sua vida, no ano de 1979 ele vende as suas propriedades e muda-se para a cidade de Cachoeira do Sul, onde passa a desenvolver um grande trabalho social e de evangelização, atingindo centenas de famílias, onde até hoje é reconhecido por seus trabalhos.Cursou teologia bíblica e graduou-se em vários cursos até ser apresentado como Pastor pela Convenção das Igrejas e Pastores da Assembleia de Deus no RS (CIEPADERGS) em 26 de março de 1999.

No final do mesmo ano mudou-se para a cidade de Sobradinho, onde desenvolveu, novamente, um trabalho social e evangelístico reconhecido pela população da cidade. Ganhou respeito e admiração dos moradores e ao final do ano seguinte, a pedido da Convenção Estadual, foi transferido para a cidade de Candelária em 11 de dezembro de 2000, onde permanece até o dia de hoje.Neste período, pastor Antonio foi muito reconhecido por todas as autoridades do município como alguém que contribui para o bem-estar e desenvolvimento do município e de seus moradores, ajudando famílias e a comunidade de um modo geral.Preside a Igreja Assembleia de Deus no município, igreja esta que estará completando 60 anos em Candelária no próximo dia 20 de agosto.

A Assembleia de Deus possui 10 congregações próprias no município com uma grande quantidade de membros ativos e trabalhando para o Reino de Deus. A igreja possui Departamento infantil, de jovens, de mulheres, músicos, corais, além de manter vários trabalhos sociais dentro e fora de nosso município.

A igreja também ajuda a manter 2 famílias de missionários no continente africano.
É grande o número de pessoas e famílias que tem sido abençoadas pelo legado do Pr.Antonio e as marcas que ele tem deixado na história o tempo não apaga.

Para coroar todo este trabalho, Pr.Antonio recebeu, em 2017, a maior honraria que o poder público municipal pode conceder:

TÍTULO DE CIDADÃO CANDELARIENSE. A DEUS SEJA A HONRA, GLÓRIA E O LOUVOR PARA SEMPRE!
Venha nos visitar, será muito bem vindo! Nossa Localização