Home

Quem Somos

Descrição sobre a nossa igreja, explicando em que cremos, como nos comportamos.
Leia mais

Nossas reuniões

Nossas reuniões são os dias que temos cultos, eventos especiais, congressos e campanhas
Leia Mais

Escalas

Compromissos dos membros que tem cargo na igreja.
De Obreiros

Diretoria Atual 2018

São listados todos os responsáveis por os departamentos das nossas igrejas da Assembléia de Deus de Candelária
Leia Mais
Ver a imagem de origem
Sarah Kuteh poderá voltar ao mesmo trabalho após dois anos brigando na justiça

A enfermeira Sarah Kuteh foi demitida do Hospital Darent Valley, Inglaterra, dois anos atrás, acusada de “impor sua religião aos pacientes”. Afirmando estar sendo injustiçada, ela processou o Conselho de Enfermagem do Reino Unido e venceu.

Agora a profissional poderá voltar ao seu antigo posto. “Isso me traz muita alegria, porque amo a minha profissão”, comemora.

Durante os meses em que lutava na justiça pela reparação, Kuteh teve o apoio da ONG Christian Concern, que ofereceu-lhe advogados e acompanhou o caso.

Em junho de 2016, o órgão federal Serviço Nacional de Saúde, apresentou uma denúncia, alegando que havia queixas de pacientes. Ela alegou que perguntar a religião das pessoas fazia parte de um questionário padrão. Kuteh ressalta que apenas se oferecia para orar pelos doentes e distribuiu Bíblias aos interessados, sempre respeitando os que não aceitavam falar sobre fé.

Mãe de 3 filhos, a enfermeira estava no mesmo hospital desde 2007. Mesmo com 15 anos de profissão, ela disse que teve dificuldades para encontrar um novo emprego, pela maneira como seu caso foi conduzido.

Em 2016, ela foi advertida formalmente sobre seu comportamento, mas não esperava a demissão. “Recebi uma carta dizendo que eu poderia falar sobre religião com os pacientes, mas apenas se eles me pedissem”, reclama Sarah. “Eu sempre perguntei aos meus pacientes se eles se sentiam à vontade para falar do assunto. A maioria dizia que sim”.

Quando perdeu o emprego, ela emitiu uma nota, onde questionava: “Como falar sobre Jesus pode causar problemas a qualquer pessoa?”. Também lamentava o fato que a Inglaterra não parecia mais permitir a livre expressão religiosa.

Durante a última audiência do Conselho de Enfermagem, em julho, a supervisora de Kuteh a descreveu como “uma enfermeira amável, atenciosa, honesta e amigável” e “uma valiosa integrante da equipe”.

Agora que terá condições de voltar a desempenhar sua profissão, explica que será mais cuidadosa ao abordar o tema com os pacientes, mas não negará sua crença em Jesus. 



Com informações Express / Gospel Prime

Venha nos visitar, será muito bem vindo! Nossa Localização